quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Sete cuidados garantem férias saudáveis Siga as dicas dos especialistas para descansar sem riscos à dieta ou à saúde

Férias é tempo de relaxar. Mas isso não significa deixar de lado cuidados essenciais com a saúde e a alimentação. "Manter a dieta, escolher bem os seus alimentos e dormir bem devem aparecer entre as suas prioridades", afirma o nutrólogo Roberto Navarro. O especialista, no entanto, dá espaço para alguns deslizes. Só não dá para passar as férias inteiras nos exageros. O corpo pode sofrer com essas alterações bruscas de rotina e dar trabalho para retomar o ritmo normal ou, pior ainda, sofrer com a baixa imunidade. A seguir, uma equipe de especialistas ensina como você faz para aproveitar os dias de folga sem prejudicar a saúde ou alimentar preocupações exageradas. 




Seu organismo sente as mudanças

Se as mudanças não forem bem planejadas, seu organismo pode sofrer vários tipos de desequilíbrio. "A falta de atividade física e os excessos na alimentação levam ao aumento de insulina circulando no sangue. A curto prazo, isso provoca o aumento de peso e, sem o controle adequado, casos de diabetes", afirma o nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia. O cuidado é para que as mudanças sejam positivas, com horas a mais de sono e de descanso, além de mudanças para tornar a alimentação mais saudável. 

Comer fora 


A nutricionista Andréia Ceschin, afirma que a variedade de opções dos restaurantes não deve ser vista como uma ameaça à dieta. "O melhor é buscar um restaurante por quilo, self-service, com muitas opções de salada, legumes e grelhados". Planeje seu prato antes de montá-lo e evite pegar pequenas porções de tudo o que é oferecido, cuidando para restringir ao máximo o consumo de frituras.


Acordar tarde e pular o café da manhã

A primeira refeição do dia é a mais importante, por isso nunca deve ser deixada de lado. "O organismo tem o dia inteiro pra metabolizar o café da manhã. Você ganha mais energia e disposição com uma refeição balanceada", afirma o nutrólogo. O especialista recomenda compor, especialmente, o jantar com uma salada e uma proteína, como uma carne ou ovo. E nada de exageros: o metabolismo do jantar acontece, em parte, durante o sono. Nesta fase, todas as funções são mais lentas e a digestão pode ser prejudicada.  

Protetor solar na sombra

A dermatologista Flávia Toledo Piza, diretora do espaço Guedala, recomenda o uso de protetor solar com FPS 15, no mínimo, a cada três horas. "Muitos ambientes na sombra refletem os raios ultravioletas. Por isso, mesmo que a pele não sofra com as queimaduras, há o risco de envelhecimento precoce".  

Barraquinhas de comida

É melhor evitar o consumo de alimentos de barraquinhas e ambulantes. Normalmente, nenhum dos dois oferece higiene ideal ou tem preocupação adequada com a conservação dos alimentos. A maionese, por exemplo, deve ficar na geladeira e não em temperatura ambiente. E o manuseio dos alimentos pede luvas e toucas descartáveis, nem sempre usadas. "Muitos desses alimentos ficam em contato com a poluição, fumaça do trânsito e insetos, o que pode gerar contaminação e levar a uma intoxicação alimentar, cujos sintomas mais comuns são a diarréia, os vômitos e as dores abdominais", afirma a nutricionista Andréia.  

Consumo de álcool na medida

Uma dose de bebida alcoólica por dia pode ser ingerida sem lesar o sistema digestivo. No caso dos destilados, uma dose são 30 ml. Para os vinhos, a medida é uma taça pequena e uma lata é sua cota de cerveja (300ml). O nutrólogo Roberto Navarro enfatiza que a cerveja tem muitas calorias e deve ser evitada se você quer emagrecer. Uma dica é escolher os dias de festa para ingerir bebidas alcoólicas, e procurar alternar os drinks com copos de água ou sucos, reduzindo naturalmente o consumo de álcool. 

Depois de atacar a geladeira

O nutrólogo Roberto Navarro frisa que, ao comer e em seguida dormir, muita glicose fica armazenada. Quando isso acontecer, entretanto, o ideal é começar o dia seguinte com um café da manhã balanceado e a prática de exercícios físicos, estimulando o organismo a gastar a energia acumulada e acelerando o metabolismo.  


terça-feira, 2 de dezembro de 2014

::: BRCA: O Gene do Câncer de Mama :::

O câncer mais comum entre as mulheres de raça branca é o de mama, sendo responsável por 10% dos casos de câncer no mundo. Geralmente a primeira manifestação clínica é um nódulo duro e indolor. A mulher pode perceber que tem um tumor ao se tocar, observar retração do mamilo ou, mais raramente, secreção de sangue. Muitas vezes o diagnóstico só é revelado na mamografia.

A detecção precoce é crucial no sucesso do tratamento, daí a recomendação de realizar o auto-exame, pesquisas clínicas e exames complementares. Mutações nos genes, BRCA1 eBRCA2, causam câncer de mama e também podem causar tumores de ovário, câncer de próstata e de intestino grosso. Entre as mulheres em geral, a chance de desenvolver uma mutação é de uma para 500.


 Entre as mulheres que possuem a mutação, 56% têm chance de desenvolver o tumor antes dos 70 anos e 16% de chance de desenvolver câncer de ovário. Entre esta população específica, estima-se que as mutações respondam por 9% dos casos de câncer de mama e por 40% dos de ovário. A alta freqüência das mutações e o risco elevado dessas mulheres desenvolverem a doença torna o exame de prevenção precoce do câncer de mama indicado.

Em todo o mundo, anualmente, ocorrem cerca de 150 mil novos casos da doença. Destes, cerca de 10% aparecem em mulheres cujas ancestrais tiveram câncer de mama ou de ovário. Nestas famílias, as chances de os genes BRCA1 e BRCA2 sofrerem mutação estão entre 50% e 60%.

O exame de sangue dos genes BRCA1 e BRCA2 também é aconselhado para mulheres que têm casos de câncer de mama e de ovário na família e para pacientes jovens com caso isolado de câncer de mama. Se pretende fazer o teste, antes de realizá-lo converse com seu médico. 




segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

::: DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO PELO HIV :::



HIV é a sigla em inglês do Vírus da Imunodeficiência Humana. Causador da AIDS, o vírus ataca o sistema imunológico, que é responsável por defender o organismo de doenças.
Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. Mas, podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.
Desde a descoberta do HIV, vários testes foram desenvolvidos para o diagnóstico da infecção, e dentre eles, os chamados imunoensaios (IE) se destacam pela sua importância. Nas últimas décadas, quatro gerações de IE foram desenvolvidas, possibilitando um diagnóstico cada vez mais rápido e preciso.
 O Ghanem Laboratório conta com o equipamento Architect i2000SR - Abbott, que utiliza um imunoensaio de quarta geração, o mais moderno imunoensaio disponível no mercado. Enquanto os ensaios de terceira geração detectam a infecção pelo HIV apenas após transcorridos 22 a 25 dias do contágio, um imunoensaio de quarta geração permite que seja possível detectar a presença do vírus no sangue após aproximadamente 15 dias da infecção.
É importante lembrar que o quanto antes o diagnóstico for feito, e o tratamento iniciado, melhor a qualidade de vida do portador do HIV.


Nota: Um resultado positivo obtido em um imunoensaio deve sempre ser confirmado através de outros testes, seguindo Protocolo Nacional determinado pelo Ministério da Saúde para o diagnóstico da infecção pelo HIV. O Ghanem Laboratório se responsabiliza por entregar um resultado sempre confirmado e, acima de tudo, confiável.

Por Fernando Berlitz
Gestor Técnico do Ghanem Laboratório e Saúde



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O Instituto de Diabetes de Joinville (IDJ) e o Grupo GHANEM desenvolveram ações também com crianças no "Novembro Azul"

O Ghanemzinho foi "palco" para receber os alunos da 5a. e 7a. séries vespertinas da E.E.B. Dom Pio Freitas, do Floresta/Joinville, SC. A escola é beneficiada pelo programa DIABETES NA ESCOLA, criado e coordenado pelo IDJ desde 2009.

O índice de crianças que apresentam sintomas de diabetes vem aumentando a cada dia. Isto se deve em muito à grande quantidade produtos industrializados e ricos em açúcar, como doces, biscoitos recheados, chocolates, refrigerantes e também aos carboidratos das comidas (hambúrgueres, pizzas e salgadinhos).

Como se sabe, o diabetes é uma enfermidade que o organismo tem ausência ou deficiência da produção de insulina, produzida pelo pâncreas, órgão responsável por metabolizar os açúcares que são ingeridos durante nossa alimentação. Quando existe pouca insulina, o que ocorre é o aumento da glicemia no sangue, o que pode trazer consequências graves.

Devido ao excesso da ingestão de açúcar e carboidratos, somado a isso as facilidades do mundo atual, que as crianças ao invés de irem correr e brincar na rua, ficam horas em frente a uma telinha jogando videogame; o crescimento da obesidade infantil também aumenta as taxas glicêmicas, contribuindo para o aparecimento do diabetes entre os pequenos.
Então, pais devem ficar atentos, ou mesmo as crianças, buscando uma alimentação mais saudável e alguma prática física que os levem a queimar calorias. Mas não adianta querer proibir o consumo de alimentos e bebidas extremamente calóricos. O importante é que a criança perceba que é preciso ter equilíbrio, ou seja, eventualmente pode-se comer um chocolate ou uma pizza, mas a base da alimentação deve ser mais balanceada, com muitas verduras, legumes e frutas na dieta.


Esta ação acontecerá todas as quintas feiras de novembro no Ghanemzinho. 

Confira as fotos do evento


















terça-feira, 21 de outubro de 2014

Desenvolvimento Científico do Ghanem Laboratório

O desenvolvimento científico do Ghanem Laboratório tem mais uma importante etapa nas próximas semanas. Estaremos participando ativamente de dois importantes eventos científicos da área clínica nas próximas semanas e com apresentações de trabalhos por profissionais da nossa organização:

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE MICROBIOLOGIA CLÍNICA

É o principal  evento da área de microbiologia nesse ano no país. Será realizado entre os dias 22 e 24 de outubro, em João Pessoa/PB. Estaremos sendo representados nesse importante evento pela nossa microbiologista, Gisele Dall Cortivo, que apresentará o trabalho Avaliação Fenotípica e Genotípica das Infecções Causadas por A. baumannii Resistente aos Carbapenêmicos em Hospital de Médio Porte no Sul do Brasil”.

CONGRESSO BRASILEIRO DE HEMATOLOGIA, HEMOTERAPIA E TERAPIA CELULAR

É o principal  e mais tradicional evento da área de hematologia no país. Será realizado entre os dias 06 e 09 de novembro próximo, em Florianópolis/SC. Estaremos sendo representados nesse evento pela bioquímica Janaína Lauxen, que apresentará o trabalho “AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO ANALISADOR HEMATOLÓGICO CELL DYN RUBY BASEADA EM IMPACTO NA DECISÃO MÉDICA
POR MEIO DE MÉTRICA SIGMA”.



É um grande orgulho para a nossa organização a divulgação de mais dois trabalhos científicos em eventos de tamanha relevância no cenário nacional. Com mais esses trabalhos, consolidamos 7 trabalhos científicos em 2014 sendo apresentados em eventos de elevado impacto na nossa área de atuação.
E, para 2015, a expectativa é de ainda maior desenvolvimento científico! 


quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Homocisteína

O que é?

É um aminoácido produzido pelo corpo. Altos níveis de homocisteína no sangue foram vinculados a um aumento do risco de doença coronariana, AVC e doença vascular periférica.

Como uma grande quantidade de homocisteína pode ser prejudicial?

Altos níveis de homocisteína no sangue podem danificar o revestimento das artérias. Além disso, níveis elevados de homocisteína podem favorecer o surgimento de coágulo de sangue, o que pode aumentar o risco de bloqueios dos vasos sanguíneos. Um coágulo dentro do vaso sanguíneo é denominado trombo. O trombo pode circular pela corrente sanguínea e ficar preso nos pulmões (chamada de embolia pulmonar), no cérebro (que pode causar um acidente vascular cerebral - AVC) ou no coração (o que pode causar um ataque cardíaco.) Pessoas que têm níveis muito altos de homocisteína têm risco elevado para doença arterial coronariana.

O que causa alto nível de homocisteína no sangue?

A homocisteína é normalmente transformada em outros aminoácidos para utilização pelo corpo. Se o nível de homocisteína é muito alto, você pode não estar recebendo bastante vitaminas B para ajudar seu corpo a usar a homocisteína.

A maioria das pessoas que têm altos níveis de homocisteína não possuem, em suas dietas, quantidades suficientes de folato (também chamado de ácido fólico), vitamina B6 ou vitamina B12. Consumir alimentos com estas vitaminas muitas vezes ajuda a retornar o nível de homocisteína ao normal. Outras causas possíveis de uma grande quantidade de homocisteína incluem baixos níveis de hormônio da tiróide, doença renal, psoríase, alguns medicamentos ou um fator hereditário.
Se o nível de homocisteína é muito alto, é preciso baixá-lo, especialmente se há bloqueios dos vasos sanguíneos. Se o paciente não tem outros fatores de risco para doença cardiovascular e não tem aterosclerose, o médico pode adotar uma abordagem de espera vigilante e monitorar o nível de homocisteína.
Embora nenhum estudo tenha mostrado que a redução dos níveis de homocisteína ajuda a reduzir os acidentes vasculares cerebrais, ataques cardíacos e outras condições cardiovasculares, é importante manter um menor nível baixo de homocisteína para reduzir riscos de doença cardíaca.
Se ajustar a dieta não é suficiente para baixar a homocisteína, o médico pode sugerir que o paciente tome um suplemento de ácido fólico. Também pode ser preciso tomar suplemento de vitamina B-6 e B-12.
Se há necessidade de vitamina B-6 em uma dieta, os alimentos como cereais, batatas, bananas, grão de bico e frango são boas fontes. Os produtos lácteos, a carne bovina e alguns tipos de peixe são boas fontes de vitamina B-12.



Como o nível de homocisteína é medido?

A homocisteína é medida a partir de um simples exame de sangue, que não demanda grandes preparativos para ser realizado.



Como reduzir uma taxa elevada de homocisteína?

Comer mais frutas e vegetais (especialmente verduras) pode ajudar a diminuir o nível de homocisteína,
Aumentar a quantidade de ácido fólico de uma dieta. Boas fontes de ácido fólico incluem cereais, grãos, lentilha, aspargo, espinafre e feijão.



Exames

Se o paciente começar a tomar suplementos de ácido fólico ou vitamina B, ele deve ter o nível de homocisteína reverificados após 08 semanas. Se o nível de homocisteína permanecer elevado, o médico poderá tentar aumentar a dose dos suplementos.

Poderão ser realizados outros exames para descobrir se o paciente é portador de alguma doença que mantenha as taxas de homocisteína elevadas.

Se a pessoa já teve em algum outro período níveis altos de homocisteína, ela deverá ser verificada regularmente (de 02 a 03 vezes por ano)



Fonte: MD Consult: Homocysteine: Patient Education

Ghanem Laboratório e Saúde
47. 3028 3001

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Participação dos profissionais do Ghanem Laboratório no 48º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial, entre 08 e 12 de setembro, no RJ.


Cursos e palestras ministrados por profissionais do 
Ghanem Laboratório:

Data: 08/09/2014 - Local: SALA 8 - Horário: 09:00 às 18:00
·         CURSO: “Indicadores laboratoriais: abordagem prática baseada em experiência nacional e internacional e nas resoluções da ANS”
Palestra: “INDICADORES NA GESTÃO ESTRATÉGICA”
Palestrante: FERNANDO BERLITZ – Gestor Técnico/Ghanem Laboratório

Data: 11/09/2014 - Local: SALA 6 - Horário: 09:00 às 10:45
·         MESA REDONDA: “ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EM LABORATÓRIOS CLÍNICOS”
Coordenador: FERNANDO BERLITZ
Palestra: “DEFINIÇÃO DE FLUXO DE TRABALHO”
Palestrante: FERNANDO BERLITZ – Gestor Técnico/Ghanem Laboratório

Data: 11/09/2014 - Local: SALA 4 - Horário: 14:30 às 16:15
·         MESA REDONDA: “NOVAS ABORDAGENS PARA O CONTROLE DA QUALIDADE ANALÍTICA”
Coordenadora: MARIA ELIZABETE MENDES (SP)
Palestra: “CONTROLE DA QUALIDADE E SEIS SIGMA”
Palestrante: FERNANDO BERLITZ – Gestor Técnico/Ghanem Laboratório

Data: 12/09/2014 - Local: SALA 7 - Horário: 09:00 às 10:45
·         MESA REDONDA: “OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ANALÍTICO”
Coordenador: FERNANDO BERLITZ
Palestra: “REDESENHO DE PROCESSOS UTILIZANDO LEAN SIX SIGMA”
Palestrante: FERNANDO BERLITZ – Gestor Técnico/Ghanem Laboratório

Data: 10/09/2014 - Local: SALA A - Horário: 16H30
·         WORKSHOP ORTHO CLINICAL DIAGNOSTICS (J&J)
Palestra: "CONSTRUINDO O FUTURO … "
Relato do Case da Gestão Estratégica do GHANEM Laboratório Clínico, de Santa Catarina, à criação de seu futuro.
Os temas - Intraempreendedorismo, Desenvolvimento Humano, Relacionamento, Hipersegmentação, Sustentabilidade, Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva - serão abordados nesta oportunidade.
Palestrante: OMAR AMIN GHANEM FILHO – Diretor/Ghanem Laboratório


Apresentação Oral de trabalhos científicos do Ghanem Laboratório:
Data: 09/09/2014 - Local: SALA 8 - Horário: 15:30 às 16:15
·         Trabalho: 192 - “REDESENHANDO E OTIMIZANDO OS PROCESSOS TÉCNICOS COM INICIATIVAS DE BPM E LEAN: CRIANDO NOVAS SOLUÇÕES PARA ANTIGOS DESAFIOS QUE AFETAM A PRODUTIVIDADE E O COMPARTILHAMENTO DE CONHECIMENTO E TECNOLOGIA NO LABORATÓRIO CLÍNICO”.
Autores: FERNANDO BERLITZ, LEONARDO CABRAL, ROBSON GANSKE, KETRIN MULLER.


Data: 09/09/2014 - Local: SALA 8 - Horário: 17:00 às 18:00
·         Trabalho: 287 -“ESTUDANDO E DESAFIANDO OS PARADIGMAS DA GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS E RESÍDUOS NA BIOQUÍMICA: HARMONIZANDO AS DIMENSÕES SOCIOAMBIENTAIS E FINANCEIRAS COM FOCO EM PROCESSOS SUSTENTÁVEIS E RESULTADOS PARA AS DIFERENTRES PARTES INTERESSADAS”.
Autores: FERNANDO BERLITZ, LEONARDO CABRAL, MARLI BLOEMER, SIMONI BORGHESON, ROBSON GANSKE.


Apresentação de trabalhos científicos (pôsteres) do Ghanem Laboratório:
Data: 09 a 12 de Setembro/2014 – Área de Temas Livre – Centro de Convenções SulAmérica

·         Trabalho:86 - “VALIDAÇÃO DE ENSAIOS DE PERFIL LIPÍDICO NO EQUIPAMENTO VITROS 5600 BASEADA EM IMPACTO NA DECISÃO MÉDICA VIA MÉTRICA-SIGMA”.
Autores: BERLITZ, F. A.; CABRAL, L. N. 

·         Trabalho:192 – “REDESENHANDO E OTIMIZANDO OS PROCESSOS TÉCNICOS COM INICIATIVAS DE BPM E LEAN: CRIANDO NOVAS SOLUÇÕES PARA ANTIGOS DESAFIOS QUE AFETAM A PRODUTIVIDADE E O COMPARTILHAMENTO DE CONHECIMENTO E TECNOLOGIA NO LABORATÓRIO CLÍNICO”.
Autores: BERLITZ, F. A.; CABRAL, L. N.; MULLER, K. G.; GANSKE, R. 

·         Trabalho:200 – “AVALIAÇÃO DOS VALORES DE NORMALIDADE DA CONTAGEM DE RETICULÓCITOS UTILIZANDO O ANALISADOR HEMATOLÓGICO CELL-DYN 3500”.
Autores: MULLER, K. G.; BATSCHAUER, A. P. B.; SILVA, P. H.; HENNEBERG, R.; FRIGERI, H. R. 

·         Trabalho:284 –“PREVALÊNCIA DE HIPOVITAMINOSE D EM POPULAÇÃO DO NORTE CATARINENSE”.
Autores:BERLITZ, F. A.; CABRAL, L. N.; GANSKE, R. 


·         Trabalho:287 –“ESTUDANDO E DESAFIANDO OS PARADIGMAS DA GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS E RESÍDUOS NA BIOQUÍMICA: HARMONIZANDO AS DIMENSÕES SOCIOAMBIENTAIS E FINANCEIRAS COM FOCO EM PROCESSOS SUSTENTÁVEIS E RESULTADOS PARA AS DIFERENTES PARTES INTERESSADAS”.
Autores:BERLITZ, F. A.; CABRAL, L. N.; BLOEMER, M. C. M.; BORGHESON, S.; GANSKE, R.